Mulher se emociona ao encontrar refeição para os seus filhos deixado por desconhecido em sua porta

Mãe de cinco filhos, ela encontrou dificuldades durante a pandemia, mas foi surpreendida com a generosidade alheia.

Por
em Solidariedade

Algumas sacolas recheadas de alimentos foram o suficiente para emocionar e levar Emma Frost, mãe de cinco filhos, às lágrimas. Conforme noticiou Daily Mail, Emma vive em Cheshire, na Inglaterra, e tem enfrentado dificuldades para alimentar os seus filhos com idades entre 11 meses a 16 anos, desde que seus filhos não puderam mais frequentar a escola devido o isolamento social. Lá, eles recebiam refeições, como almoço, que agora, não tem mais acesso.

Sabendo da sua situação, alguma alma caridosa providenciou cinco almoços, além de duas sacolas cheias de alimentos, e acompanhada de um bilhete, as deixou na porta da Emma.

Ao se deparar com o presente, Emma não se conteve e se emocionou com tamanha bondade de alguém que ela nem conhece.

“Minha filha mais velha foi até a porta porque não estávamos esperando ninguém e encontrou as sacolas de compras e cinco lancheiras de crianças. Eu gostaria de agradecer do fundo do meu coração. Em um dia em que eu estava lutando mentalmente, você o iluminou. É muito apreciado e mostra que ainda há algumas pessoas compartilhando sua humanidade por aí”, disse Emma.

O bilhete deixado junto aos alimentos tinha a seguinte mensagem:

"Olá, Emma, ​​estou fazendo coletas de alimentos na comunidade e alguém colocou seu nome à frente para receber um. Também estou fazendo almoços para crianças de segunda a sexta. Se você não quer receber o almoço das crianças, é só me mandar uma mensagem. Caso contrário, deixo-os aí entre as 10:30 e as 12:00. Não há necessidade de vir até a porta, vou bater, deixar e sair. Um presente da nossa família para a sua”.

A iniciativa acontece no momento em que parlamentares britânicos negaram o fornecimento gratuito de merenda escolar para crianças durante esse período de pandemia.

“Acho que o governo tomou a decisão errada, pois há mais famílias em situação pior do que nós, e eles realmente precisam de ajuda. Este será um apoio incrível para nós esta semana”, reforça Emma.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com