Motorista de ônibus desvia rota para ajudar passageira a ver a sua mãe a tempo

O profissional se arriscou para ajudar mãe que está em asilo a rever a filha.

Por
em Inspiradoras

Em um nobre gesto, um motorista de ônibus chamado Alex Bailey, de 57 anos, desviou a rota para levar uma passageira que havia pegado ônibus com destino errado para ver a sua mãe em um asilo.

A passageira que foi cortejada pela gentileza do motorista foi Jacqueline Mason que estava indo visitar sua mãe, de 79 anos, Eileen McGrugan, na última semana em um centro de assistência médica em Belfast, capital da Irlanda do Norte.

Seguindo as restrições devido aos protocolos COVID-19, as visitas são limitadas a intervalos de tempo de meia hora pré-agendados. Como Jacqueline havia pegado o ônibus errado, ela não conseguiria ver a sua mãe no tempo estimado, isso, no entanto, se ela não contasse com a ajuda de Alex.

Às lágrimas, Jacqueline explicou a situação ao motorista que, gentilmente, entendeu e fez questão de ajudar. Em um consenso com os demais passageiros, a rota daquele ônibus foi direcionada ao asilo em que Eileen se encontrava.

“Quando a mulher me disse que não via sua mãe há muito tempo, isso simplesmente atingiu meu coração”, disse Alex à BBC . “Muitas pessoas sofreram este ano e vocês viram no noticiário, pessoas não conseguindo ver suas mães ou seus pais em casa e isso simplesmente tocou em mim... Eu apenas disse a mim mesmo, eu tenho que conseguir esta mulher o mais perto que posso daquela casa.”

E assim foi, graças à bondade de Alex. Coincidentemente, havia uma equipe televisa no asilo quando Jacqueline chegou. Imediatamente ela reportou a situação à equipe, que fez uma matéria sobre o ocorrido.

Em pouco tempo a atitude de Alex se espalhou, ganhando grande repercussão na mídia e na internet. O motorista ficou sabendo da sua popularidade por meio da sua filha.

“O sorriso e a alegria em seu rosto diziam tudo e eu estava muito satisfeito”, disse ele à BBC. “Foi apenas um momento mágico e agradável. Era a coisa certa a fazer”, concluiu.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com